Modo de usar-se

foto tirada do google


"Coitada, foi usada por aquele cafajeste". Ouvi essa frase na beira da praia, num papo que rolava no guarda-sol ao lado. Pelo visto a coitada em questão financiou algum malandro, ou serviu de degrau para um alpinista social, sei lá, só sei que ela havia sido usada no pior sentido, deu pra perceber pelo tom do comentário. Mas não fiquei com pena da coitada, seja ela quem for.

Não costumo ir atrás desta história de "foi usada". No que se refere a adultos, todo mundo sabe mais ou menos onde está se metendo, ninguém é totalmente inocente. Se nos usam, algum consentimento a gente deu, mesmo sem ter assinado procuração. E se estamos assim tão desfrutáveis para o uso alheio, seguramente é porque estamos nos usando pouco.

Se for este o caso, seguem sugestões para usar a si mesmo: comer, beber, dormir e transar, nossas quatro necessidades básicas, sempre com segurança, mas também sem esquecer que estamos aqui para nos divertir. Usar-se nada mais é do que reconhecer a si próprio como uma fonte de prazer.

Dançar sem medo de pagar mico, dizer o que pensa mesmo que isso contrarie as verdades estabelecidas, rir sem inibição – dane-se se aparecer a gengiva. Mas cuide da sua gengiva, cuide dos dentes, não se negligencie. Use seu médico, seu dentista, sua saúde.

Use-se para progredir na vida. Alguma coisa você já deve ter aprendido até aqui. Encoste-se na sua própria experiência e intuição, honre sua história de vida, seu currículo, e se ele não for tão atraente, incremente-o. Use sua voz: marque entrevistas.
Use sua simpatia: convença os outros. Use seus neurônios: pra todo o resto.

E este coração acomodado aí no peito? Use-o, ora bolas. Não fique protegendo-se de frustrações só porque seu grande amor da adolescência não deu certo. Ou porque seu casamento até-que-a-morte-os-separe durou "apenas" 13 anos. Não enviuve de si mesmo, ninguém morreu.

Use-se para conseguir uma passagem para a Patagônia, use-se para fazer amigos, use-se para evoluir. Use seus olhos para ler, chorar, reter cenas vistas e vividas – a memória e a emoção vêm muito do olho. Use os ouvidos para escutar boa música, estímulos e o silêncio mais completo. Use as pernas para pedalar, escalar, levantar da cama, ir aonde quiser. Seus dedos para pedir carona, escrever poemas, apontar distâncias. Sua boca pra sorrir, sua barriga para gerar filhos, seus seios para amamentar, seus braços para trabalhar, sua alma para preencher-se, seu cérebro para não morrer em vida.

Use-se. Se você não fizer, algum engraçadinho o fará. E você virará assunto de beira de praia.

- Martha Medeiros -

Comentários

  1. Belíssima escolha do texto amiga.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. É isso aí, vamos nos usar antes que enferruge rss
    beijos e um ótimo fim de semana pra você!

    ResponderExcluir
  3. A partir de agora vou procurar me usar da melhor maneira possível.

    ResponderExcluir
  4. Muito boa sua escolha, She.
    Excelente texto. Vamos viver! Vamos nos usar!

    Bom domingo, menina.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  5. She...
    Excelente texto!!! A Martha sempre arrasando, e vc com a sensibilidade de postá-lo em seu Cantinho.
    Realmente, ela ouviu somente uma versão, a da praia. E a versão do cara???...rsrs. Uma história tem no mínimo duas versões (a dos protagonistas), e outras muitas dos observadores. Seja qual for a história, ninguém é totalmente vilão ou vítima, os dois tiveram ganhos secundários ou responsabilidades... Sempre ouço as duas partes antes de chegar a alguma conclusão... E pra concluir, né??? Quem somos nós para julgar os outros???
    Valeu pela reflexão, Lindinha!!!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Excelente texto...quem é usado por alguém é porque se colocou na posição de ser "usável", de certo modo permitiu... sempre sabemos o que estamos fazendo, isto é nossa responsabilidade. Nunca somos vítimas reais, nós é que nos "iludimos". Infalivalmente, quem se ilude, engana a si mesma e acaba por se desiludir.
    Façamos mesmo algo por nós, há uma infinidade de coisa boas a se fazer, em prol de sermos seres humanos melhores.
    Adorei aqui, já estou seguindo seu Blog.

    Doce domingo pra ti...
    Beijinhos...
    Valéria

    ResponderExcluir
  7. Texto maravilhoso, eu tbm nw gosto do termo de "ser usada", afinal nw somos objetos, mas temos que nos permitir o nosso uso próprio de ir encontro a felicidade!!!

    Bjs querida!!!Otimo domingo!!!

    ResponderExcluir
  8. She, embora o assunto seja sério não pude deixar de rir com o final: caso contrário você vira assunto de beira de praia.
    Não acredito nisso de sermos usadas, quando já mais velhas. O grande problema é que muitos de nós ainda não conseguiu entender que podemos sim, usar e sermos usados e aproveitarmos bastante, ainda que no final aconteça, apenas um tchau. faz parte da nossa cultura!
    Um beijinho e bom domingo sem praia

    ResponderExcluir
  9. Obrigada amiga Cris, bjo, bjo!

    kkkkkkkkkkk é isso aí Isa, bjo, bjo!

    Faça isso sim Machado e seja bem-vindo por aqui, tô indo aí te conhecer! Bjo, bjo!

    Nilcinhaaaa isso mesmo, vamos nos usar, bjo, bjo!

    Verdade Paulo, toda história tem mesmo duas versões...rsrs bjo, bjo!

    Oi Valéria adorei o seu comment, seja bem-vinda por aqui, tô indo aí te conhecer, bjo, bjo!

    hahahahaha Lis tô aqui rindo... muito bom, bjo, bjo!

    Isso mesmo Lilian, não somos objetos, bjo, bjo querida!

    hahaha Isa eu tb ri com o final, uma ótima semana pra vc sem praia tb...rsrs bjo, bjo!

    Oi Jo, só um pouquinho... hehe bjo, bjo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Ei, seja bem-vindo! Deixe aqui as suas impressões...

Postagens mais visitadas deste blog

Plástico-bolha surgiu por acidente

A pegada