terça-feira, 5 de abril de 2011

Alzheimer


imagem daqui


Ontem, na novela Araguaia que acaba essa semana, a atriz Laura Cardoso deu um show de interpretação ao fazer uma cena em que Dona Mariquita num lampejo de, ainda, lucidez resolve agradecer e se despedir das pessoas que ama.

A emoção tomou conta de mim, foi impossível não chorar, pois lembrei de meus avós paternos que morreram com Alzheimer, doença gradual e cruel que leva embora a dignidade da pessoa, e que não tiveram essa oportunidade da despedida. Não assim com tamanha lucidez. Fiquei pensando na cena e pensei que maravilha seria se todos os filhos de Alzheimer tivessem a aceitação de que não se pode lutar contra o invencível e pudessem se despedir de seus entes queridos...

Várias coisas nos faz falta ao convivermos com um doente de Alzheimer: é o olhar, que agora é perdido, a voz, que se cala para sempre, a memória que voa e começa a se perder quando só lembram, com propriedade, de coisas do passado, mas o café da manhã não sabem definir o que comeram...

Lembro que quando os meus avós morreram eu pensei:

- Pôxa, agora é o fim de vez, agora eles não existirão mais mesmo, mas isso já havia acontecido há alguns anos... Pois quando o Alzheimer se instala com a propriedade que tem de adoecer a família toda, ele faz justamente a pessoa morrer um pouquinho pra vida... Diariamente.

Não sabem mais quem são os parentes próximos, não sabem mais tomar banho sozinhos, fazer higiene pessoal, necessidades fisiológicas passa a ser somente e exclusivamente através de fraldas, não andam sozinhos...

E conforme os anos passam tudo piora, até alguns regredirem a tal ponto que acabam os seus dias em posição fetal...

É impossível carregá-los no colo o tempo todo, pois eles têm tamanho de adultos, então a cadeira de rodas se faz necessária, aos poucos o organismo vai todo se desintegrando, e o fim é certo, pena que sem dignidade.

Sorte daqueles que ao se perceberem com a doença têm tempo de se despedir e agradecer, se assim desejarem, como fez a Dona Mariquita, sorte daqueles que tiverem uma família estruturada que dê apenas muito amor. E que entendam que tudo que o nosso parente amado fizer, ele não está respondendo por si, inclusive as agressões e malcriações que por ventura vierem.

O que nos resta fazer? Aceitar que se não tivermos condições de cuidá-los coloquemos sim em Instituições especializadas, ou contratemos cuidadores profissionais para fazê-lo. Não podemos ter vergonha de admitir que não conseguiremos... Vergonha é não retribuir o amor que a vida inteira eles nos deram. Aceitar que não podemos cuidar não é sinônimo de abandonar.

Lembrem-se: "quando aparentemente uma pessoa menos precisar do amor da gente, é quando ela mais precisa" e se essa pessoa for um parente que amamos não há nem o que pestanejar, pois o Alzheimer já vai maltratá-los e nós não precisamos contribuir com essa doença.

Que possamos dar AMOR, não é fácil, definitivamente não é fácil ver sangue de nosso sangue ser destruído por uma doença, ver que eles não lembram mais da gente, ver que eles não conseguem mais olhar em nossos olhos, ver que o banal para eles é agora uma dificuldade, mas são eles quem precisam de nós, e a nós cabe apenas amá-los e proporcionar um final o mais LEVE possível.

Saudades eternas de vocês, meus amados avós. Deus queira que vocês estejam descansando e seguindo o caminho de luz destinado a vocês.

Saudades...

Muitas saudades...

AMO VOCÊS PARA TODO O SEMPRE!

Ai, ai desde ontem estou sensível... Ui!


Texto: Sheila Mendonça

***



ATENÇÃO: O Plágio é crime e está previsto na Lei nº9610 sobre direitos autorais!


20 comentários:

  1. Não é fácil ver quem amamos se acabando aos poucos, mas o importante é que sabemos que o espírito é eterno.

    Beijo, She.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  2. Que lembrança mais terna She e eterna!
    Beijinhos!!
    Carla

    ResponderExcluir
  3. Oi She querida

    É muito triste mesmo.
    Minha avó teve apenas o princípio e seu coração não aguentou. Mesmo assim foi muito difícil ver uma pessoa perdida no meio de toda a família.
    Ficamos com as boas recordações que são muitas graças a Deus.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  4. É She, realmente A Laura é uma das grandes divas da televisão
    Ela dá um show de interpretação
    Que bom que recordas sempre dos seus avós
    E como é bom termos sempre lembranças boaspara nos aquecer
    Beijo She

    ResponderExcluir
  5. Nossa, me emocionei ao ler seu post amiga, sem palavras... mas mutio amor para doar...

    beijooo.

    ResponderExcluir
  6. O q dizer da Laura Cardoso? Uma aula de interpretação mesmo. O tema Alzheimer é abordado de forma linda e poética em "Longe Dela" um filme de tirar o fôlego. Beijooooos e linda semana.

    ResponderExcluir
  7. Oi she, boa tarde
    Também assisti este capítulo da novela Araguaia, aliás, assisto todos os dias. Foi muito emocionante, também enchi de lágrimas meus olhos.
    Doença cruel, ingrata, que vai matando lentamente e fazendo sofrer todos que estão por perto do doente.
    Um filme que aborda este tema com muita sensibilidade e beleza é "Diário de uma Paixão", com James Garner, Rachel Mcadams, Sam Shepard, Ryan Gosling, Gena Rowlands.
    Vale a pena assistir.
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Minha avó faleceu a poucos dias com essa doença, ela não se lembrava de mais nada. Muito bom seu post. Abraços.

    ResponderExcluir
  9. She, você me fez chorar...

    adorei a frase "Aceitar que não podemos cuidar não é sinônimo de abandonar". Minha mãe, agora com 90 anos esta ficando cada vez mais difícil, e ela não tem a doença, as vezes me pego com o coração apertado e muito cansada e culpada, por não ter a paciência que ela merece, mas uma coisa é impossível não reconhecer, o meu amor por ela. A velhice é um estado muito delicado.

    Um enorme beijo.

    Você me deixou muito comovida.

    ResponderExcluir
  10. Muito triste quem tem essa doença, não existe prevenção mas os médicos recomendam exercícios contínuos para o cérebro como leitura, palavras-cruzada, etc...
    Linda emocionante sua postagem.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  11. Emocionante a mensagem do seu post! Lindissima!

    Bjão She

    ResponderExcluir
  12. Muito bonito o post. Tenho uma amiga que a mae dela está doente, tem sido muito difícil para todos. Pena ainda é uma icógnita para a médicina, muita coisa sao suposicoes.Bjs

    ResponderExcluir
  13. She realmente essa doença é triste, a avó do meu marido (D.Tereza) está com Alzheimer, ainda no começo mas ela não sabe nem em que ano estamos... ainda reconhece as pessoas mas para conversar com ela é dureza... D.Tereza eu já disse isso... D.Tereza eu já disso aquilo ou então repetimos a mesma frase um milhão de vezes... é cruel com todos...

    Pode ter certeza que seus avós estão te olhando onde quer que eles estejam e estão orgulhosos de ver a neta deles bem, sendo uma excelente escritora e uma excelente pessoa... gosto muito de você viu... Beijos e abraços de conforto tá...

    ResponderExcluir
  14. she, não vejo a novela, mas sei que a laura cardoso é uma grande atriz.

    convivo com esse problema; minha mãe há 7 anos começou a ter lapsos de memórias grave e hoje já não consegue quase nos reconhecer. não toma mais banho sozinha. ainda consegue comer mas tem que ter paciência com ela. e meu pai é quem cuida dela.

    tenho muitas preocupações por saber que a doença pode ser lenta mas vai chegar um dia que minha mãe estará completamente inválida e temo por meu pai não ser capaz de cuidar dela até o fim.

    como ele é muito teimoso e muito seguro de si, ele acha que ninguém vai cuidar dela igual a ele. de certa forma ele tem razão, mas ele também já não está tão novo(tem 73) e acho que vai chegar uma hora que eu vou ter que convencê-lo a interná-la.

    é triste. mas infelizmente, a ciência ainda não descobriu uma cura para a doença. mas ao que tudo indica, em mais uns 15 anos, algum progresso poderá ser feito nessa área.

    minha mão não estará mais aqui, mas torço que outros filhos e filhas sejam poupados de verem seus queridos definharem, perderem suas memórias, sua vida, ao longo do tempo.

    ResponderExcluir
  15. Tua escrita doeu na alma... tenho uma amiga-irmã que passa por tal situação...minha mainha se foi... massacrada por outra doença...mas que a torturou dia após dia, sem contudo tirar-lhe a lucidez... é tenebroso ver quem amamos sofrer desta maneira... mas, saiba de uma coisa... eles vivem em ti... lembre-se das boas coisas que tiveram juntos... E, caso possa leia o Caderno de Noah. bjs

    ResponderExcluir
  16. Deve ter sido emocionante.
    O pai(88 anos) do meu sogro está com esta doença.
    Ele mora em SC, e meus sogros ficam um mês cuidando dele e voltam para Gravatai(SC), e a irmã do sogro outro mês, e assim seguem( isto q são 5 filhos).
    é uma doença triste, pois assim como tem momento de lucidez, ele tem d delírio.

    ResponderExcluir
  17. eu errei Gravatai é no RS,,,
    acho q é pq eu adoro SC.

    ResponderExcluir
  18. Olá meus queridos! Quanto comentário lindo, obrigada pelo carinho e por compartilharem experiências pessoais tão dolorosas... Nos próximos dias responderei um a um.
    Beijo, beijo e carinhos em todos!
    She

    ResponderExcluir
  19. She...
    nunca tive contato com esta situação, mas deve ser muito doloroso para todos.
    Por isso eu acredito no valor da vida no momento presente, dizer que ama, pedir perdão, sentar e escutar o outro.
    isso pode fazer muita diferença em nossa vida, né.
    e foi isso que vc fez por mim, me ouviu e ficou comigo no dia dificil.
    vim agradecer muito
    um beijinho

    ResponderExcluir
  20. oh, doença cruel essa mesmo. Dói só de pensar que podemos ter algum familiar com ela. É o fim chegando aos poucos mesmo.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir

Ei, seja bem-vindo! Deixe aqui as suas impressões...