domingo, 28 de fevereiro de 2010

Praticando o desapego!

foto tirada da internet


"O exemplo do DESAPEGO vem das abelhas.
Após construírem a colmeia, abandonam-na.
Não a deixam morta em ruínas, mas viva e repleta de alimento!
Todo mel que fabricaram, além do que necessitavam, é deixado.
Batem asas para a próxima morada sem olhar para trás.
Num ato incomum, abandonam tudo o que levaram a vida para construir!
Deixam o melhor que têm, seja pra quem for - o que é muito diferente de doar o que não tem valor ou dirigir a doação para alguém de nossa preferência.
Se queremos ser LIVRES e parar de sofrer pelo que temos e pelo que não temos, devemos abrigar um único desejo: o de nos transformar.
Assim, quando alguém ou algo tem de sair de nossa vida, não alimentamos a ilusão da perda.
Sofrimento vem da fixação a algo ou a alguém.
Apego embaça o que deveria estar claro: por trás de uma pretensa perda está o ensinamento de que algo melhor para nosso crescimento precisa entrar.
Se não abrirmos mão do velho, como pode haver espaço para o novo ?"
autoria desconhecida

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Desejo a vocês...


imagem tirada da internet
... dias assim!
Bjo, bjo e bjo! ;)

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O que será do amanhã?

imagem tirada da internet

Três anos se passaram e a família destruída continua...

Um dos assassinos é liberado porque recebeu ameaça de morte.

Começa a viver no sistema judicial de proteção à vítima... como assim?

Nunca que eu vou entender a inversão de valores no Brasil.

Se um menor matar uma pessoa ele tem os direitos humanos ao seu favor, e se receber ameaça de morte vive sob custódia da justiça.

E o menino lindo da foto está como?

Morto!

E sua família está como?

Dilacerada pra sempre!

E os assassinos estão como?

Soltos se cumprirem 1/3 da pena com bom comportamento!

Por que a justiça penal do nosso país não se moderniza?

Os crimes seguem com facetas nunca vistas antes e a nossa constituição penal continua na década de 30...

É lamentável!

Que Deus nos proteja!

Amém!

Texto: Sheila Mendonça


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Reflexão!


imagem tirada da internet
O jovem casal mudou-se para um bairro muito tranquilo.

Na primeira manhã que passavam em sua nova casa, enquanto tomava café, a mulher reparou no varal no qual a vizinha pendurava os lençóis lavados e comentou com o marido:

- Que lençóis sujos ela está pendurando no varal!

Está precisando de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

O marido observou calado.

Três dias depois, também durante o café da manhã, a vizinha pendurava seus lençóis e novamente a mulher comentou com o esposo:

- Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

E assim, a cada três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.

Passado um mês, a jovem esposa se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos e, empolgada, foi dizer ao marido:

- Veja! Ela aprendeu a lavar as roupas!

O marido lhe respondeu calmamente:

- Acontece que hoje eu levantei mais cedo e lavei a vidraça da nossa janela! Creio que era a sujeira que impedia você de ver a brancura dos lençóis da nossa vizinha.



AUTOR DESCONHECIDO

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Consciência...


O ódio é o veneno que você toma esperando que o outro morra!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

BEIJO NA BOCA!


Não tenho a menor ideia de quem inventou ou de quando foi inventado.
Mas vamos combinar que o tal do beijo na boca é uma das melhores invenções da humanidade.
Se existe algum povo, alguma cultura, que não adota esse tipo de beijo, garanto que esse lugar deve ser muito chato...
Porque o beijo na boca é a manifestação mais intensa da paixão...
Arrisco até a dizer que, às vezes, é mais importante do que o sexo.
Toda relação começa com um beijo na boca.
E quando ele desaparece no dia a dia dos casais, é porque algo vai mal.
Quem nunca se apaixonou por causa de um beijo daqueles?
Existem bocas que se encaixam perfeitamente.
Bocas nascidas uma para a outra, que se comunicam com facilidade e se tornam cúmplices.
Beijo bom é aquele que faz a gente sair do chão, faz o coração bater acelerado e o corpo todo tremer.
Beijo bom é aquele que faz a gente pensar em mil coisas e, ao mesmo tempo, não pensar em nada.
Beijo bom é aquele que faz o tempo correr ou...
Parar de vez...
Beijar na boca faz bem à saúde, à alma, ao corpo e ao coração.
Beijar de olhos fechados faz a gente sonhar.
Beijar de olhos abertos faz a gente acreditar.
Beijo quente...
Beijo molhado...
Beijo tranquilo...
Beijo apressado...
Beijo na boca pode ser de todo jeito, mas tem que vir carregado de paixão.
Beijar no escuro...
Beijar na rua...
Beijar escondido...
Beijar roubado...
Beijo na boca nos faz sentir vivos, saudáveis...
E até imortais.
Eu não sei se existe o dia do beijo na boca.
Se não existe, vamos fingir que é hoje...
Vai lá...
Surpreenda quem você ama.
Aí você vai dizer:
"ah, mas eu tô sozinha...”.
Mais uma razão pra comemorar:
a gente só descobre o amor, beijando...
Texto: Lena Gino

domingo, 7 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Tenha orgulho de ser empregada doméstica!

foto tirada da internet - 27 de abril é o dia da empregada doméstica



O que aconteceu com a profissão empregada doméstica?

Eu tenho reparado que de um tempo pra cá ninguém tem mais em sua casa empregada doméstica ou faxineira.

Por quê?

O que aconteceu com essa classe trabalhadora?

É um tal de minha secretária pra cá, minha secretária pra lá.

Desculpem-me, mas eu continuo me referindo a elas como faxineiras e empregadas sim, pois acho uma profissão digna, batalhada e merecedora do nome que recebe.

Qual é o problema?

Secretária é secretária e empregada é empregada!

Acho um preconceito ridículo tirar essa qualificação.

Patroas e empregadas passaram a ter vergonha do título, da profissão, que até há pouco tempo atrás era orgulho para muitas.

Mas agora elas ficam ofendidas como se estivéssemos as desmerecendo.

Sei que esse meu post pode criar uma polêmica, mas resolvi escrever mesmo assim porque realmente me incomodo todas as vezes que escuto coisas do tipo:

- Pedi à minha secretária pra fazer uma faxina nos quartos.

- A minha secretária fez um frango maravilhoso!

Eu só consigo enxergar isso como preconceito que, por sinal, começa exatamente por algumas delas.

Não tenham vergonha de serem empregadas domésticas e faxineiras não.

Tenham orgulho é um trabalho suado, conquistado, difícil e precisa ter muita competência para exercer a função.

Por isso eu levanto a bandeira e peço:

- Empregadas, faxineiras, patroas e patrões vamos deixar o preconceito de lado?!

E um viva a essa classe trabalhadora, na qual precisamos tanto em nossas casas!
Se valorizem para que todos possam valorizar!


Texto: Sheila Mendonça

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Trote... serve pra quê mesmo?



imagem tirada da internet

Vou fazer 12 anos de formada e bem antes de cursar o Jornalismo já ouvia notícias de trotes em calouros.

E nesse tempo todo, eles só fizeram se superar, mas a intenção continua a mesma...

E eu não consigo entender porque ninguém faz nada.

O meu trote foi "tranquilo", mas sem deixar de ter o teor da humilhação.

Tivemos que ficar descalços e amarrados, pelas mãos, e gritar andando pela faculdade que todo calouro é burro.

Depois tivemos que ficar, em fila, debaixo de uma marquise, esperando jogarem água com algumas misturas em cima da gente.

Fizeram também brincaderinhas do tipo: desenhar uma prancha de surf, com giz, no chão e em cima um calouro fingia surfar; alguns veteranos ficavam com um palito micro na boca e nós, calouras, tivemos que ir lá pegar e, logicamente, eles aproveitavam pra agarrar...

E também colocavam uma garrafa no chão e amarravam uma caneta com barbante na cintura, de algumas calouras, e dançando elas tinham que se abaixar até conseguir colocar a caneta dentro da garrafa.

Depois disso tudo, ainda, tivemos que, descalços, pedir dinheiro no sinal, perto da faculdade, para os veteranos beberem chopp...

Isso é de praxe...

Mas ninguém saiu machucado.

Mas infelizmente...

Passados 12 anos o de praxe tem sido calouros saírem mais do que humilhados e machucados.

Época importante na vida de qualquer jovem.

Época que por si só, devido a novidade, já nos traz dúvidas, medos, questionamentos, incertezas, desafios e é quando percebemos de fato que estamos virando adultos.

Logo, como todo O NOVO ele assusta e muito.

Não precisamos de mais artifícios para tal.

Mas...

O que mais me impressiona além da maldade em si é que são calouros de veteranos que serão futuros pedagogos, médicos, advogados...

COMO ASSIM?

Pedagogos não vão teoricamente formar pessoas, não vão ensinar alguma coisa a alguém?

Médicos não vão teoricamente salvar a vida de pessoas?

Advogados não vão defender pessoas?

Profissões não vão mudar vidas?

Mas estão machucando colegas, queimando colegas, embebedando colegas!

E que estão começando uma fase que um dia eles também começaram, e que também tiveram medos e incertezas...

Ou não?

O que está acontecendo com os nossos jovens?

Com os nossos futuros professores, médicos, advogados e profissionais em geral?

Gente!

Precisamos de um basta!

A raça humana, no futuro assim, não sobrevive com valores tão deturpados...

O que tem acontecido com as famílias?

Pais, por favor, digam não, deem limites, pois se formos pesquisar, jovens assim foram crianças sem limites e serão adultos mediocres, e passarão pela vida sem nada de bonito para contar.


Texto: Sheila Mendonça.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

A nossa obrigação é ser feliz!


foto tirada da internet
Há prazeres para os sentidos

Há alegrias para o coração

A felicidade é só para a consciência.


- Félix Bouvert -

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Combinação perfeita!


Essa foto é uma combinação perfeita de imagem.

Tenho adoração pela Lua e paixão pelo Mar.

Quando a Lua tá cheia, grandona, amarela ou branca, me pego horas olhando pra ela e viajando.

Mas se você for me perguntar o que tanto penso.

Não saberei dizer.

Acho que não penso em nada, só fico ali curtindo...

Sentindo a presença de Deus.

Ao olhar a Lua eu tenho a certeza absoluta que algo muito mais forte, e maior existe tomando conta da gente e desse mundo terreno.

Quando olho pro Mar tenho a mesma sensação, mas com uma pequena diferença.

O Mar renova as minhas forças, mergulhando nele ou não.

O Mar, pra mim, é sinônimo de renovação, luta, conquista, novos mares a serem conquistados.

Moro bem próximo dele e pra mim não tem cheiro melhor do que o dele.

O cheiro de maresia tem a capacidade de me desconcentrar em qualquer tarefa que eu esteja realizando.

Parece que a maresia me chama e me faz conectar com o Mar, e com as forças que vêm dele.

Por isso quando encontrei esta foto não resisti.

É o encontro da viagem, da força divina com a natureza, a renovação e as forças ocultas que me fazem seguir sempre em frente e ter a certeza de que sou protegida.

Amém!


Texto: Sheila Mendonça