sábado, 29 de maio de 2010

Quanta criatividade!














FOTOS: todas tiradas do google imagens

Ontem e Amanhã...

imagem tirada da internet


"Hoje vou apagar do meu calendário dois dias:

Ontem e amanhã!

Ontem foi para aprender!

Amanhã será uma consequência do que posso fazer hoje...

Hoje enfrentarei a vida com a convicção de que este dia nunca mais retornará.

Hoje é a última oportunidade que tenho de viver intensamente...

Hoje terei coragem para não deixar passar as oportunidades que se apresentam, que são as minhas chances de triunfar!

Hoje vencerei cada obstáculo que surgir no meu caminho!

Resistirei ao pessimismo e conquistarei o mundo com um sorriso...

Com uma atitude positiva...

Esperando sempre o melhor!

Hoje usarei o tempo para ser feliz!

Se você carimbar em si mesmo a ideia de que as coisas são difíceis, provavelmente elas serão.

Quando se repete continuamente 'eu não posso' ou 'eu não vou conseguir', as chances de que isso realmente aconteça são bem grandes.

Portanto, para permanecer longe da influência dos comentários e visões pessimistas dos outros, ative o seu potencial otimista.

Uma pequena chama em uma sala escura é muito mais forte do que toda a escuridão."

(autor desconhecido)

Um excelente final de semana de conquistas para todos!

Beijo, beijo!

She.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

EMOCIONANTE...

Uma pequena homenagem para as minhas amigas que estão grávidas!

E também para as que ficarão...

Celebrando a vida!

Bjo, bjo!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Refletindo...

foto tirada do google imagens

"A água não discute com os seus obstáculos ela simplesmente os contorna"
(autor desconhecido)

domingo, 16 de maio de 2010

Refletir para evoluir...


"Ninguém é tão alguém
Que não precise de ninguém!"
(autor desconhecido)

sábado, 15 de maio de 2010

Viver a Vida!

foto tirada da internet
Eu adoro as novelas de Manoel Carlos e sempre achei todas as suas HELENAS fundamentais na estória.

Mas essa novela como um todo, em minha opinião, deixou muito a desejar, por muitas vezes foi arrastada, monótona e chata mesmo.

Tive a sensação de que Manoel Carlos se perdeu no meio do caminho...

Dessa vez a HELENA não teve a mesma importância para a novela que as outras.
E isso não tem nada a ver com a belíssima e talentosa atriz Taís Araújo.

Eu fiquei com a impressão que o autor esqueceu que a Taís que era a Helena e a fez parecer coadjuvante por muitas e muitas vezes.

A Taís Araújo é uma atriz maravilhosa e merecia sim ter tido mais importância na novela.

Definitivamente ela não teve o mesmo peso que a personagem de Aline Moraes e de Lilia Cabral.

E antes que me acusem de racismo em momento algum citei a cor da pele da atriz. Porque pra mim isso não é importante, pois não olho as pessoas de acordo com a raça delas. Olho as pessoas como pessoas.

Então vamos aceitar as críticas sem acusar as pessoas de racismo!
Li hoje uma entrevista do Manoel Carlos, o autor da novela, dizendo que as críticas à Taís é racismo...

Racismo por quê?

Por que quando qualquer outra raça é criticada ninguém fala em racismo, mas quando é um negro chove acusações? Coisa chata isso!

Definitivamente o autor não soube aproveitar o enorme talento que Taís tem. A responsabilidade pra mim é toda dele e não dela. Só pra deixar claro.

Por tanto aplaudo a atriz Taís Araújo que fez maravilhosamente bem o que foi dado para ela fazer, apesar de não ter tido o seu talento valorizado, mesmo assim nos deixava emocionados com a sua atuação, com a sua beleza e com o seu talento, mas quando lembramos que era a HELENA de uma novela de Manoel Carlos aí a gente brochava sim.

Outra coisa que li hoje é que o autor diz que as pessoas estão comparando a Taís com a Regina Duarte, mas que a Taís tem 30 anos e a Regina tem 60...

E daí? Como assim?

A Regina tem 60 anos hoje, e não quando fez a Helena...

Enfim...

Volto a dizer, a responsabilidade da HELENA não ter tido a importância que merecia ter não é da atriz.

E por falar em aplausos não posso deixar de aplaudir os vários talentos, além da linda Taís, que passaram por essa novela.

Foram tantos que nem quero citar nomes para não ser injusta, mas fizeram belas cenas!

Gostei muito da novela, mas não amei.

E o último capítulo não teve cara de último capítulo, não sei se foi proposital, ou se combinou com toda a novela arrastada.

Uma coisa bem bacana e original dessa novela foram os depoimentos no final de cada capítulo.

A gente se emocionava com cada relato, com cada dor, com cada alegria, com cada realização, com cada SUPERAÇÃO.

Simplesmente todos eles foram importantes e faziam a gente ver que apesar dos pesares vale muito à pena VIVER A VIDA.

E o depoimento final foi simplesmente sensacional!

Bem, e assim acaba mais uma novela e seguimos em frente porque na segunda iremos nos apaixonar pelos próximos oito meses.

Passione na vida de todos!

Beijo, beijo! ;)

By Sheila Mendonça.


sexta-feira, 14 de maio de 2010

O perdão!

foto tirada do google imagens


Um rapaz ia muito mal na escola.

Suas notas e o comportamento eram uma decepção para seus pais que sonhavam em vê-lo formado e bem sucedido.

Um belo dia, o bom pai lhe propôs um acordo:

- Se você, meu filho, mudar o comportamento, se dedicar aos estudos e conseguir ser aprovado no vestibular de Medicina, lhe darei um carro de presente.

Por causa do carro, o rapaz mudou da água para o vinho.

Passou a estudar como nunca e ter um comportamento exemplar.

O pai estava feliz, mas tinha um pacote.

Para sua surpresa, o presente era uma Bíblia.

O rapaz ficou visivelmente decepcionado e nada disse.

A partir daquele dia, a distância e o silêncio separaram pai e filho.

O jovem sentia-se traído e agora lutava por sua independência.

Deixou a casa dos pais e foi morar no Campus Universitário.

Raramente mandava notícias à família.

O tempo foi passando e ele se formou, conseguiu um emprego num bom hospital e se esqueceu completamente do pai.

Todas as tentativas do pai para reatar os laços foram em vão.

Até que, num dia o velho, muito triste com a situação, não resistiu.

Faleceu.

No enterro, a mãe entregou ao filho a Bíblia, que tinha sido o último presente do pai.

De volta à sua casa, o rapaz que nunca perdoara o pai, quando colocou a Bíblia numa estante, notou que havia um envelope dentro dela.

Ao abri-lo, encontrou uma carta e um cheque.

A carta dizia:

"Meu filho, sei o quanto você deseja ter um carro. Eu prometi e aqui está o cheque para você, escolha aquele que mais lhe agradar. No entanto, fiz questão de lhe dar um presente ainda melhor, a Bíblia sagrada. Nela aprenderás o amor de Deus e a fazer o bem, não pelo prazer da recompensa, mas pela gratidão e pelo dever de consciência".

(desconheço a autoria)


Recebi esta mensagem por e-mail há algum tempo e sempre que releio entendo que é um ensinamento que vai além de religião, ou crença de cada um, pois é um aprendizado para a vida.

Mas confesso que tenho grande dificuldade de perdoar, principalmente a traição. E quando falo em traição não me refiro a um par de chifres em minha cabeça, e sim traição dentro de um leque de variantes, se pensarmos direitinho vamos ver que existem vários tipos dela.

Mas enfim... estamos por aqui para aprender!

-----------------------------------------------------

Galerinha querida quando fiz o post abaixo sobre a vacina, e também quando falei sobre o assunto em meu orkut e msn, em momento algum eu tive a intenção de fazer uma campanha contra a vacinação para a H1N1.

Pois sou completamente a favor dessa campanha, só acho que não adianta alguns médicos falarem que não dá reação, porque cada organismo reage de uma forma diferente.

Em mim por exemplo não foi nem um pouco agradável.

Tomei na parte da manhã e não senti absolutamente nada na hora, nem a picada. Mas quando foi chegando o final da tarde o local da aplicação, e o meu braço por inteiro doiam muito.

Coloquei gelo que foi a indicação que eu recebi, o que aliviou um pouco, mas a noite ficou muito pior e tive uma noite péssima de sono.

A dor é igual a uma dor muscular quando exageramos no exercício, mas um pouco pior, sem chance de fazer qualquer coisa com o braço, ele não levantava de tanto que doia.

Hoje de manhã acordei bem melhor, se comparado com ontem, a dor está mais localizada na aplicação.

Mas passei o dia com uma dorzinha de cabeça chata e uma prostração sem fim...

Mas nem todo mundo tem essa reação, então não desistam de tomar a vacina não, É MUITO MELHOR TER REAÇÃO DO QUE PEGAR ESSA GRIPE QUE MATA!

Beijinhos em todos!


terça-feira, 11 de maio de 2010

Aprenda com o bambu chinês!

foto tirada da internet

"Depois de plantada a semente deste incrível arbusto,

não se vê nada,

por aproximadamente 5 anos,

exceto um lento desabrochar de um diminuto broto,

a partir do bulbo.

Durante 5 anos ,

todo o crescimento é subterrâneo,

invisível a olho nú.

Mas...

Uma maciça e fibrosa estrutura de raiz,

que se estende vertical e horizontalmente pela terra está sendo construída.

Então,

no final do 5º ano,

o bambu chinês,

cresce até atingir a altura de 25 metros.

Muitas coisas na vida pessoal e profissional são iguais ao bambu chinês.

Você trabalha,

investe tempo,

esforço,

faz tudo o que pode para nutrir seu crescimento,

e,

às vezes não vê nada por semanas,

meses, ou anos.

Mas se tiver paciência para continuar trabalhando,

persistindo e nutrindo,

o seu 5º ano chegará,

e,

com ele,

virão um crescimento e mudanças que você jamais esperava...

O bambu chinês nos ensina que não devemos facilmente desistir de nossos projetos,

de nossos sonhos...

Em nosso trabalho,

especialmente,

que é um projeto fabuloso que envolve mudanças...

De comportamento,

de pensamento,

de cultura e de sensibilização.

Para ações devemos sempre lembrar do bambu chinês,

para não desistirmos facilmente diante das dificuldades que surgirão.

Tenha sempre três hábitos:

Persistência,

paciência e fé,

porque todos merecem alcançar os seus sonhos!!!

É preciso muita fibra para chegar às alturas e,

ao mesmo tempo,

muita flexibilidade para se curvar até o chão."

desconheço a autoria

sábado, 8 de maio de 2010

Homenagem para as mulheres da minha vida!

Eu tenho tanto

Pra lhe falar

Mas com palavras

Não sei dizer

Como é grande

O meu amor

Por você...

E não há nada

Pra comparar

Para poder

Lhe explicar

Como é grande

O meu amor

Por você...

Nem mesmo o céu

Nem as estrelas

Nem mesmo o mar

E o infinito

Não é maior

Que o meu amor

Nem mais bonito...

Me desespero

A procurar

Alguma forma

De lhe falar

Como é grande

O meu amor

Por você...

Nunca se esqueça

Nem um segundo

Que eu tenho o amor

Maior do mundo

Como é grande

O meu amor

Por você...

Mas como é grande

O meu amor

Por você!...

Mãe feliz dia das mães! Você é o meu porto seguro, obrigada por tudo e, principalmente, pelo amor incondicional de todos os dias! Te amo eternamente!

Vó, feliz dia das mães! Te amo para todo o sempre!

Vózinha que já se foi... que saudade! Sem palavras para descrever o que vai ser esse dia das mães com a certeza de sua enorme ausência... te amo para todo o sempre!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

E agora?

foto tirada da internet


"Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia eu recebo um e-mail dizendo: 'olha, não dá mais'. Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo, mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo? Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele respondeu: mas agora eu to comendo um lanche com amigos'. Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele. Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais inteligente, ele não volta pra mim?

Foi assim que me matriculei simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema. Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta. E sabe o que aconteceu? Nada, absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia.

Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito!

Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número de leitores do meu site e nada aconteceu. Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos, filha única! Eu não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim.

Foi então que passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e vivida. Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida.

Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os pobres, rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris. Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar sozinha. Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar. Resultado disso tudo: silêncio absoluto.

O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele.

Até que algo sensacional aconteceu...

Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher, que eu acabei me tornando mulher DEMAIS para ele. Ele quem mesmo?"

Martha Medeiros


Onde você coloca o sal?

imagem tirada da internet
"O velho mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo d'água e bebesse.
- Qual é o gosto? - perguntou o mestre.
- Ruim - disse o aprendiz.
O mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.
Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago.
Então o velho disse:
- Beba um pouco dessa água.
Enquanto a água escorria do queixo do jovem o mestre perguntou:
- Qual é o gosto?
- Bom! - disse o rapaz.
- Você sente o gosto do sal? - perguntou o mestre.
- Não. - disse o jovem.
O mestre então, sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:
- a dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos.
Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta.
É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu.
Em outras palavras:
É deixar de ser copo para tornar-se um lago."
SOMOS O QUE FAZEMOS, MAS SOMOS PRINCIPALMENTE O QUE FAZEMOS PARA MUDAR O QUE SOMOS!
desconheço a autoria.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Pode ser mais do que parece ser...



foto tirada da internet

Uma imagem pode ter várias interpretações porque quem olha tem a sua própria história, a sua memória visual, a sua percepção, a sua criatividade própria, por isso...

O que você consegue ver na foto?

terça-feira, 4 de maio de 2010

Que situação!

foto tirada do google imagens

"Amiga:

Conforme minha promessa, estou enviando um e-mail contando as novidades da minha primeira semana depois de ser transferida pela firma para o Rio de Janeiro.

Terminei hoje de arrumar as coisas no meu novo apartamento. Ficou uma gracinha, mas estou exausta.

São dez da noite e já estou pregada.

Segunda-Feira: Cheguei à firma e já adorei.

Entrei no elevador quase no mesmo instante que o homem mais lindo desse planeta.

Ele é loiro, tem olhos verdes e o corpo musculoso parece querer arrebentar o terno.

Lindooooo!

Estou apaixonada.

Olhei disfarçadamente a hora no meu relógio de pulso e fiz uma promessa de estar parada defronte ao elevador todos os dias a essa mesma hora.

Ele desceu no andar da engenharia.

Conheci o pessoal do setor, todos foram atenciosos comigo.

Até o meu chefe foi super delicado.

Estou maravilhada com essa cidade.

Cheguei em casa e comi comida enlatada.

Amanhã vou a um mercado comprar alguma coisa.

Terça-Feira: Amiga!

Precisava contar.

Sabe aquele homem de quem falei?

Ele olhou para mim e sorriu quando entramos no elevador.

Fiquei sem ação e abaixei a cabeça.

Como sou burra!

Passei o dia no trabalho pensando que preciso fazer um regime.

Me olhei no espelho, hoje de manhã, e estou com uma barriguinha indiscreta.

Fui ao mercado e só comprei coisinhas leves: biscoitos, legumes e chás.

Resolvido!

Estou de dieta.

Quarta-Feira: Acordei com dor de cabeça.

Acho que foi a folha de alface ou o biscoito do jantar.

Preciso manter-me firme na dieta.
Quero emagrecer dois quilos até o fim de semana.

Ah!

O nome dele é Marcelo.

Ouvi um amigo dele falando com ele no elevador.

E ainda tem mais: ele desmanchou o noivado há dois meses e está sozinho.

Consegui sorrir para ele quando entrou no elevador e me cumprimentou.

Estou progredindo, né?

Como faço para me insinuar sem parecer vulgar?

Comprei um vestido dois números menores que o meu.

Será a minha meta.

Quinta-Feira: O Marcelo me cumprimentou ao entrar no elevador.

Seu sorriso iluminou tudo!

Ele me perguntou se eu era a arquiteta que viera transferida de Brasília e eu só fiz: "Umhum"...

Ele me perguntou se eu estava gostando do Rio e eu disse: "Umhum".

Aí ele perguntou se eu já havia estado antes aqui e eu disse: "Umhum".

Então ele perguntou se eu só sabia falar "Umhum" e eu respondi: "Ã-hã".

Será que fui muito evasiva?

Será que eu deveria ter falado um pouco mais?

Ai, amiga!

Estou tão apaixonada!

Estou resolvida!

Amanhã vou perguntar se ele não gostaria de me mostrar o Rio de Janeiro no final de semana.

Quanto ao resto, bem... ando com muita enxaqueca.

Acho que vou quebrar meu regime hoje.

Estou fazendo uma sopa de legumes.

Espero que não me engorde demais.

Sexta-Feira: Amiga!

Estou arruinada!

Ontem à noite não resisti e me empanturrei.

Coloquei bastante batata-doce na sopa, além de couve, repolho e beterraba.

Menina saí de casa que parecia um caminhão de lixo.

Como eu peidava! (nossa! Você não imagina a minha vergonha de contar isto, mas se eu não desabafar, vou me jogar pela janela!).

No metrô, durante o trajeto para o trabalho, bastava um solavanco para eu soltar um futum que nem eu mesma suportava.

Teve um momento em que alguém dentro do trem gritou: "Aí! Peidar até pode, mas jogar merda em pó dentro do vagão é muita sacanagem!"

Uma senhora gorda foi responsabilizada.

Todo mundo olhava para ela, tadinha.

Ela ficou vermelha, ficou amarela, e eu aproveitava cada mudança de cor para soltar outro.

O meu maior medo era prender e sair um barulhento.

Eu estava morta de vergonha.

Desci na estação e parei atrás de uma moça com um bebê no colo, enquanto aguardava minha vez de sair pela roleta.

Aproveitei e soltei mais um.

O senhor que estava na frente da mulher com o bebê virou-se para ela e disse: "Dona! É melhor a senhora jogar esse bebê fora porque ele está estragado!".

Na entrada do prédio onde trabalho tem uma senhora que vende bolinhos, café, queijo, essas coisas de camelô.

Pois eu ia passando e um freguês começou a cheirar um pastel, justo na hora em que o futum se espalhou.

O sujeito jogou o pastel no lixo e reclamou: "Pó, dona Maria! Esse pastel tá bichado!"

Entrei no prédio resolvida a subir os dezesseis degraus pela escada.

Meu azar foi que o Marcelo ficou segurando a porta, esperando que eu entrasse.

Como não me decidia, ele me puxou pelo braço e apertou o botão do meu andar.

Já no terceiro andar ficamos sozinhos.

Cheguei a me sentir aliviada, pois assim a viagem terminaria mais rápido.

Pensei rápido demais.

O elevador deu um solavanco e as luzes se apagaram.

Quase instantaneamente a iluminação de emergência acendeu.

Marcelo sorriu (ai, aquele sorriso...) e disse que era a bruxa da sexta-feira.

Era assim mesmo, logo a luz voltaria, não precisava se preocupar.

Mal sabia ele que eu estava mesmo preocupada.

Amiga, juro que tentei prender.

Mas antes que saísse com estrondo, deixei escapar.

Abaixei e fiquei respirando rápido, tentando aspirar ao máximo possível, como se estivesse me sentindo mal, com falta de ar.

Já se imaginou numa situação dessas?

Peidar e ficar tentando aspirar o peido para que o homem mais lindo do mundo não perceba que você peidou?

Ele ficou muito preocupado comigo e, se percebeu o mau cheiro, não o demonstrou.

Quando achei que a catinga havia passado, voltei a respirar normal.

Disse para ele que eu era claustrofóbica.

Mal ele me ajudou a levantar, eu não consegui prender o segundo, que saiu ainda pior que o anterior.

O coitado dessa vez ficou meio azulado, mas ainda não disse nada.

Abaixei novamente e fiquei respirando rápido de novo, como uma mulher em estado de parto.

Dessa vez Marcelo ficou afastado, no canto mais distante de mim no elevador.

Na ânsia de disfarçar, fiquei olhando para a sola dos meus sapatos, como se estivesse buscando a origem daquele fedor horroroso.

Ele ficou lá, no canto, impávido.

Nem bem o cheiro se esvaiu e veio outro.

Ele se desesperou e começou a apertar a campainha de emergência.

Coitado!

Ele esmurrou a porta, gritou, esperneou, e eu lá, na respiração cachorrinho.

Quando a catinga dissipou, ele se acalmou.

As lágrimas começaram a escorrer pelos meus olhos.

Ele me viu chorando, enxugou meus olhos e disse: "Meus olhos também estão ardendo..."

Eu juro que pensei que ele fosse dizer algo bonito.

Aquilo me magoou profundamente.

Pensei: "Ah, é, FDP? Então acabou a respiração cachorrinho..."

Depois disso, no primeiro ele cobriu o rosto com o paletó.

No segundo, enrolou a cabeça.

No terceiro, prendeu a respiração, no quarto, ele ficou roxo.

No quinto, me sacudiu pelos braços e berrou: "Mulher! Pára de se cagar!".

Depois disso ele só chorava.

Chorou como um bebê até sermos resgatados, quatro horas depois.

Entrei no escritório e pedi minha transferência para outro lugar, de preferência outro País."

autor desconhecido