Vai viajar? Então se entregue, de verdade!

imagem Google


A CAPACIDADE DE SE ENCANTAR

- Martha Medeiros -


Muita gente diz que adora viajar, mas depois que volta só recorda das coisas que deram errado. Sendo viajar um convite ao imprevisto, lógico que algumas coisas darão errado, faz parte do pacote. 

Desde coisas ingratas, como a perda de uma conexão ou ter a mala extraviada, até xaropices menos relevantes, como ficar na última fila da plateia do musical ou um garçom mal-humorado não entender o seu pedido. Ainda assim, abra bem os olhos e veja onde você está: em Fernando de Noronha, em Paris, em Honolulu, em Mykonos. Poderia ser pior, não poderia? 

Outro dia uma amiga que já deu a volta ao mundo uma dezena de vezes comentou que lamentava ver alguns viajantes tão blasés diante de situações que costumam maravilhar a todos. 

São os que fazem um safári na Namíbia e estão mais preocupados com os mosquitos do que em admirar a paisagem, ou que estão à beira do mar numa praia da Tailândia e não se conformam de ter esquecido no hotel a nécessaire com os medicamentos, ou que não saboreiam um prato espetacular porque estão ocupados calculando quanto terão que deixar de gorjeta. 

Não saboreiam nada, aliás. Estão diante das geleiras da Patagônia e não refletem sobre a imponência da natureza, estão sentados num café em Milão e não percebem a elegância dos transeuntes, entram numa gôndola em Veneza e passam o trajeto brigando contra a máquina fotográfica que emperrou, visitam Ouro Preto e não se emocionam com o tesouro da arquitetura barroca – mas se queixam das ladeiras, claro. 

Vão à Provence e torcem o nariz para o cheiro dos queijos, olham para o céu estrelado do Atacama sofrendo com o excesso de silêncio, vão para Trancoso e reclamam de não ter onde usar salto alto, vão para a Índia sem informação alguma e aí estranham o gosto esquisito daquele hambúrguer: ué, não é carne de vaca, bem? Aliás, viajar sem estar minimamente informado sobre o destino escolhido é bem parecido com não ir. 

Estão assistindo a um show de música no Central Park, mas não tiram o olho do iPad. Vão ao Rio, mas têm medo de ir à Lapa. Estão em Buenos Aires, mas nem pensar em prestigiar o tango – “programa de velho!” São os que olham tudo de cima, julgando, depreciando, como se o fato de se entregar ao local visitado fosse uma espécie de servilismo – típico daqueles que têm vergonha de serem turistas. 

É muito bacana passar um longo tempo numa cidade estrangeira e adquirir hábitos comuns aos nativos para se sentir mais próximo da cultura local, mas quem pode fazer essas imersões com frequência? Na maior parte das vezes, somos turistas mesmo: estamos com um pé lá e outro cá. Então, estando lá, que nos rendamos ao inesperado, ao sublime, ao belo. Nada adianta levar o corpo pra passear se a alma não sai de casa.



Crônica da Revista do Jornal O Globo
- 22 de abril de 2012 -
Coluna da Martha Medeiros



Comentários

  1. Respostas
    1. Adoooooooooro sempre a Martha! :)) Bjbj

      Excluir
  2. Adoro as crônicas da Martha, gaúcha de P.Alegre, como eu!!beijos,chica, linda semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, isso ela é gaúcha, tchê! ;) Bjbj

      Excluir
  3. She,
    Discordo um pouco com a Martha! As coisas que deram errado serem contadas com bom humor e alegria é sim maravilhoso! Adoro lembrar tbm das coisas e situações embaraçosas! Faz parte. Lógico que nao podemos é nao curtir a viagem por conta disso. Ano passado qdo viajei perdi vôo, no dia seguinte o vôo atrasou 5 h, pedi a conexão! E tudo isso levei na boa e com alegria! Nao podemos é nunca e em nenhum canto sermos mal humorados.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente não é nada agradável quando as coisas dão errado, mas acho que o que ela quis focar é nas pessoas que só enxergam o lado negativo da viagem, se ele houver... Concordo contigo, xô baixo astral e mau humor! ;) Bjbj

      Excluir
  4. Verdade viajar é bom mas precisamos respigar cada cultura e curtir até os imprevistos, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viajar é bom demaaaaaaaaaais! :)) Bjbj querida!

      Excluir
  5. Ótimo tema, viajar é deixar-se levar pelo desconhecido e penetrar nas particularidades de cada local.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei, Norma, a sua definição, amei! :)) Beijo, beijooo

      Excluir
  6. Adorei o texto e adoro Martha Medeiros!!!

    ResponderExcluir
  7. .


    She, venha comigo para dizer al-
    gumas palavras, venha.
    Quero o seu parecer sobre a
    postagem que fiz nesta ma-
    nhã, mas lembre-se; sem os seus
    comentários o meu texto não te-
    rá porque existir.

    http://bardoescritor.blogspot.com.br/

    Estou esperando você, hoje,
    sem falta, hein!

    Beijos,

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim que der eu vou aí! Aguenta só um pouquinho, estou devendo várias visitas...

      Excluir
  8. Sheilinha:

    Sou fâconfesso da Martha Medeiros..ela é a cronista mais bacana que já li. Linda semana. Beijooos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk eu tb adoro queridão, beijo, beijoooo

      Excluir
  9. OI She
    Super bacana o texto, é um fato tudo que ela escreveu e não se discute.
    Bjo e boa tarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida Cissa, não é?! Acontece e muito....
      Beijo, beijooo

      Excluir
  10. Ah tenho certeza que eu aproveitaria bem! Imagina ver a Patagônia, andar nas gôndolas em Veneza, ver a Torre Eiffel ou o Museu do Louvre? Aaah que delícia!
    Vamos trocar com esse povo She? Aproveitaremos melhor que eles! haha

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Proposta aceita minha Linda! Já pensou?! Só de olhar pra Torre Eiffel, poder passear nas gôndolas em Veneza e ir ao Museu do Louvre todo o resto é para ficar enterrado e esquecido... Vamos lá aproveitar? hehehe :P
      Beijo, beijoooo

      Excluir
  11. Olá She,
    Viajar é bom demais...
    Eu já estou com passagens compradas para o dia 29 de junho. Vou apreciar um pouco a Europa e ver se me lembro só dos bons momentos que terei por lá. Vou tentar me embrenhar na cultura local e aproveitar o máximo cada momento e respirar cultura, pois, no meu caso, enfrentar oito horas de voo, não é nada fácil, pois tenho fobia de altura... Então, é um sacrifício, mas... Irei com todas as minhas forças.rsrs...
    Ótimo texto.
    Beijos mil

    ResponderExcluir
  12. She...
    oi lindinha do meu coração....
    querida, eu acho que nossas atitudes refletem o que vai por dentro.
    Tem gente que sonha poder sair de café e tomar um cafézinho num lugar requintado, mas não podendo fazer isso, senta no seu banquinho da cozinha e aprecia o café dos deuses.
    Somos tão mal acostumados, She
    Reclamamos de tudo como se isso nos trouxesse a possibilidade de ter outras surpresas.
    No caso das viagens eu penso que é mesmo um jeito de ver as coisas.
    Certamente estas pessoas são reclamonas de tudo...
    Limão não fica doce, né.rs
    beijoooooooooooooo
    amei saber que vc gosta de viajar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Ei, seja bem-vindo! Deixe aqui as suas impressões...

Postagens mais visitadas deste blog

Plástico-bolha surgiu por acidente

A pegada