Tenha orgulho de ser empregada doméstica!

foto tirada da internet - 27 de abril é o dia da empregada doméstica



O que aconteceu com a profissão empregada doméstica?

Eu tenho reparado que de um tempo pra cá ninguém tem mais em sua casa empregada doméstica ou faxineira.

Por quê?

O que aconteceu com essa classe trabalhadora?

É um tal de minha secretária pra cá, minha secretária pra lá.

Desculpem-me, mas eu continuo me referindo a elas como faxineiras e empregadas sim, pois acho uma profissão digna, batalhada e merecedora do nome que recebe.

Qual é o problema?

Secretária é secretária e empregada é empregada!

Acho um preconceito ridículo tirar essa qualificação.

Patroas e empregadas passaram a ter vergonha do título, da profissão, que até há pouco tempo atrás era orgulho para muitas.

Mas agora elas ficam ofendidas como se estivéssemos as desmerecendo.

Sei que esse meu post pode criar uma polêmica, mas resolvi escrever mesmo assim porque realmente me incomodo todas as vezes que escuto coisas do tipo:

- Pedi à minha secretária pra fazer uma faxina nos quartos.

- A minha secretária fez um frango maravilhoso!

Eu só consigo enxergar isso como preconceito que, por sinal, começa exatamente por algumas delas.

Não tenham vergonha de serem empregadas domésticas e faxineiras não.

Tenham orgulho é um trabalho suado, conquistado, difícil e precisa ter muita competência para exercer a função.

Por isso eu levanto a bandeira e peço:

- Empregadas, faxineiras, patroas e patrões vamos deixar o preconceito de lado?!

E um viva a essa classe trabalhadora, na qual precisamos tanto em nossas casas!
Se valorizem para que todos possam valorizar!


Texto: Sheila Mendonça

Comentários

  1. She... Não posso estar mais de acordo com as tuas palavras! Infelizmente, ainda vivemos numa sociedade cheia de preconceitos!


    Beijos
    AL

    ResponderExcluir
  2. orgulho... foda ter orgulho quando se ganha 450 rais por mês. e sendo mal visto pelos outros. sem precopnceito algum, mas seu eu fosse, a última coisa que teria seria orgulho. teria raiva isso sim

    ResponderExcluir
  3. Me desculpa Marcelo raiva é exagero. Raiva quem tem que ter é o desempregado, claro que o salário delas e deles é um absurdo, teria que se dar mais valor sim, mas daí a ter raiva... ter raiva do trabalho que tem? É melhor pular da ponte, sinceramente.
    Mas respeito a sua opinião, só não concordo. ;)

    ResponderExcluir
  4. Oi She

    Sobre teu post não tenho o que comentar por que a faxineira virou minha maior inimiga então não tenho o que falar.

    Estava com saudades dos amigos.

    Bjs

    Lu

    ResponderExcluir
  5. Uau... Vc anda afiada ultimamente, hem?

    Que bom isso.

    Mas penso que sua reflexão se encaixa no mesmo caso das políticas direcionadas a negros, obesos, etc. (as tais políticas do "politicamente correto"): não se pode mais chamar um negro de "escurinho" porque isso seria um eufemismo, não se pode chamar uma obesa de "gordinha' porque isso também seria um eufemismo e blablablá... Mas a loira, bonitinha, a gente pode chamar de "loirinha": aí não tem problema. Parece que se utilizarmos certas terminologias em detrimento de outras, o preconceito desaparece sabe...

    Enfim, minha querida, tudo muito complicado: e só o fato de estarmos aqui discutindo isso demonstra o quanto ainda somos preconceituosos.

    ResponderExcluir
  6. Tenho diarista a 4 anos e é a mesma, além de ser diarista ela é minha amiga, considero-a como uma pessoa da família.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  7. Concordo. Nada de eufemismos !
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  8. Muito legal seu post. Corcordo com você. Chega de eufemismos!
    Beijos!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi AL!
    POis é... mas tenho fé que isso mude, um dia! ;)
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Oi Lu!
    Pôxa, caramba, sinto muito!
    Bjks!

    ResponderExcluir
  11. Oi Marcos!
    Que dizer que ando afiada??? (rsrs)
    "Enfim, minha querida, tudo muito complicado: e só o fato de estarmos aqui discutindo isso demonstra o quanto ainda somos preconceituosos."
    Sábias palavras e sou obrigada a concordar contigo...bjks!

    ResponderExcluir
  12. Oi Ana!
    Realmente isso acontece mesmo e elas se transformam em amigas e parentes. ;)
    Adorei o seu comment!
    Bjooo

    ResponderExcluir
  13. Olha She, acho tão complicada essa relação patroa/ empregada doméstica...elas tem vergonha do seu trabalho...qq oportunidade, mesmo que seja um trabalho com menos regalias, salário menor, pulam fora. E olha que eu pago muito bem e dou todas as regalias.
    Falo isso de cadeira, pois já passaram pela minha casa mais de vinte...estou com a minha há quase 3 anos, mas vou te contar...ô relaçãozinha difícil...se vc é paternalista, (coisa arraigada nos brasileiros, não sei se por culpa pela escravidão), procura ajudar, sem mais nem menos, uma hora, leva um chute, se é rígida e exigente como deve ser numa relação de troca de serviços, do tipo ela faz do jeito que vc quer e recebe por isso, como qq emprego, saem falando que vc é chata, exigente...
    A minha, é tão folgada que carrega meus livros, sem me falar, pra ler em casa, ou come os iogurtes e sorvetes que compro pros de casa...olha, vou te falar...eu trato super bem, dou tudo, ajudo, até ajudo a comprar com meu cartão, coisas que ela precisa, mas, acham que é obrigação quando a gente não faz...
    Li ontem que quase não há mais domésticas nas grandes cidades...elas preferm qq outro tipo de trabalho a serem empregadas.
    Fazer o que?
    Breve não existirá mais esse tipo de serviço, vai ser igual aos EUA, só faxineira, que cobra um dinheirão e o resto, a gente vai ter que fazer.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Sabe que já pensei nisso também, acho um certo preconceito mesmo, adorei teu post!!!!Beijão!!!!

    ResponderExcluir
  15. Muito bom seu blog venha revirar meu baú valeu !

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Ei, seja bem-vindo! Deixe aqui as suas impressões...

Postagens mais visitadas deste blog

Plástico-bolha surgiu por acidente

A pegada