O tempo!

foto tirada do google imagens

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é Natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.
- Mário Quintana -
Reflexão que deixo para que façamos dessa semana que se inicia inesquecível em nossas lembranças!
Beijo, beijo em todos!
She

Comentários

  1. Quintana é sempre uma ótima maneira de iniciar a semana.
    :)

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Oi minha linda...

    Quintana descreve o tempo com maestria neste poema.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi, She

    Esse texto é mesmo espetacular.
    Que possamos refletir!

    Bjs mno coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  4. Este texto é ótimo. Sinto-me sempre massacrada pelo tempo. Por ter que usá-lo, muitas vezes, para as coisas que não gosto em detrimento das que quero. Estou procurando uma forma de otimizá-lo, de tornar as obrigações, prazeres!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Só há uma maneira de evitar que o tempo passe demasiadamente rápido como mencionado por MQ., é fazermos coisas que não são rotinas, que não estão computadas em nosso cérebro como procedimento normal a ser feito sem consulta prévia.
    Dessa formas que, o tempo vai ter que seguir você, e, seus projetos. Tudo vai correr muito lentamente, pois tudo terá que esperar por sua decisão, e, como elas serão alinhadas às suas prioridades, o tempo quase que vai parar para te esperar.
    Valeu?
    Shalom
    Luiz cledio

    ResponderExcluir
  6. se tivessemos mais horas no dia, usariamos para nada, apenas aumentariamos os deveres que não nos faz descansar nunca.

    Como seria bom parar, e desfrutar a vida um pouco...tão bom isso.

    beijão...

    ResponderExcluir
  7. Realmenten somos escravos do tempo e da rotina, deixando os prazeres sempre para depois.
    Bom começar a semana com Quintana nos puxando a orelha.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  8. Realmente Angélica! Beijooooo Lindona!

    ResponderExcluir
  9. Beijocas e mais beijocas em seu coração também Nilcinha!

    ResponderExcluir
  10. Oi Tati realmente administrar o tempo é mesmo bem complicado, beijo, beijo!

    ResponderExcluir
  11. É verdade Ana nem temos muito o que acrescentar, né? Beijooo

    ResponderExcluir
  12. Oi Luiz gostei nunca havia pensado dessa forma, vou experimentar, beijo, beijo!
    Seja bem-vindo ao meu Cantinho!

    ResponderExcluir
  13. Oi Rafael, sim seria muito bom parar às vezes e em algumas situações principalmente, beijoooo

    ResponderExcluir
  14. Oi Fátima que bom que gostou, beijooo

    ResponderExcluir
  15. Ola amiga!

    Vim só agradecer a sua visita.
    Volte sempre.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Sheilinha...
    Quintana é divino!!!
    E, com relação ao tempo, o interessante é que ele é a única coisa que é dada igual a todos, e cada um faz coisas diferentes, uns mais e outros menos...
    Na verdade, é a vida que é dada a cada um, e temos que fazer o melhor com ela...
    Eu não queria ser repetitivo em dizer da tua sensebilidade, Querida!!! Mas ela e a sabedoria fazem parte de ti...
    Bjo, Bjo (como diria vc....rsrs)

    ResponderExcluir
  17. Oie Paulo, obrigada pelo carinho, meu querido, e realmente vc tem razão o tempo é a única coisa que é dada igual para todos, adorei o seu comentário, pra variar... bjo, bjo! (rs)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Ei, seja bem-vindo! Deixe aqui as suas impressões...

Postagens mais visitadas deste blog

Plástico-bolha surgiu por acidente

A pegada